Júlio Santos

Versão completa: Bandido ou fotografo?
Está de momento a ver uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Quando li a notícia não quis acreditar. Alguns de vós estarão recordados do caso em que um grupo de alunos “simula” uma ameaça à professora de Psicologia para que esta lhes aumente as notas.

Situação que foi identificada até pela própria professora como brincadeira de mau gosto.

Tudo isto foi filmado num telemóvel por uma aluna da turma, segundo os participantes, enviado a alguns “amigos” e um pouco mais tarde já estava no youtube.

Espanto dos espantos, os alunos ameaçadores, levaram seis dias de suspensão a autora do filme oito dias.

É caso para perguntar quando os pais estiverem a aconselhar os filhos em relação ao seu futuro; se ficarem na dúvida entre meliante ou fotografo, escolham meliante, custa menos e é tão ou mais proveitoso.
Brincadeiras à parte. É caso para perguntar: o que preocupa mais o Ministério da Educação, estes acontecimentos de violência ou propensa violência ou que eles sejam do conhecimento público?

Só a PGR abriu 138 inquéritos de violência nos espaços das escolas durante o ano de 2008. Quantos ficaram por se saber? O que estamos a fazer às crianças a quem poupamos castigos (sejam eles quais forem), para que tudo pareça normal?
Júlio:
Imagina que quem filmou foi quem teve a ideia da "cena", recrutou e industriou os actores (seus colegas) trouxe os adereços que é como quem diz as pistolas a fingir, e a seguir produziu a "película" que pôs no youtube, sem o conhecimento de alguns protagonistas (refiro-me à professora obviamente). Não achas que devia levar uma pena superior como levou?
Nota bem: não sei se foi isto que se passou. Mas certamente, mal ou bem, o inquérito terá apurado responsabilidades e em função disso aplicado as penas. Tu sabes como foi?
Parece-me demasiado apressada a tua crítica ao ME (com tantas que se lhe podem fazer ...), o qual, aliás, de certeza não conduziu o inquérito nem propôs as penas. Essa tarefa foi da responsabilidade do conselho directivo da escola.
Numa visão um pouco repescada da coisa até podes ter razão.

Agora a ser assim, quem castigou em vez de escrever: Uns levaram por ameaçar, outra levou por filmar.

Deveriam ter escrito: uns levaram porque ameaçaram, outra porque organizou e filmou, era só mais uma palavra (no caso, organizou) e ficávamos todos esclarecidos.

Caso contrário continuo a acreditar – basta assistir ao diálogo Ministra PGR – que há mais violência na escola que a que se fala, mostra ou diz e que o Ministério, vá-se lá saber porquê, pretende esconder a cabeça na areia.
É a escola que temos,o Pais que temos,onde se cultiva tudo menos a boa educação,os valores e o respeito pelos outros pois a nossa liberdade acaba onde começa a do outro.Andamos mesmo á deriva!