Júlio Santos

Versão completa: Mais um Gabinete Coordenador da Segurança
Está de momento a ver uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Numa altura em que as pessoas, preocupadas com a segurança, equacionam o facto das diversas Polícias dependerem de mais do que um Ministério; defendendo alguns (eu incluído) que deveriam depender de um só, eis que o Governo nos surpreende com mais uma medida de descentralização dos meios de combate à insegurança: a criação do Gabinete Coordenador da Segurança Escolar (GCSE), estrutura integrada no âmbito do Ministério da Educação (ME), com missão de conceber, coordenar e executar medidas de segurança nas escolas.

Esta decisão afigura-se-nos um paradoxo relativamente a algumas medidas governamentais, como por exemplo o facto de ter sido criado o cargo de secretário-geral do Sistema de Segurança Interna já conhecido como o “super-polícia”. A intenção, nesse caso, foi centralizar a decisão em situações de crise, foi um passo naquilo que considero o caminho certo.

Para surpresa, agora aparece mais um “Gabinete Coordenador de Segurança”, mas a depender do Ministério da Educação. O mesmo Ministério que atrasou a publicação do Relatório Anual de Segurança Interna de 2008 (por não facultar os dados atempadamente) e o mesmo Ministério que quando comparou os dados de que dispunha com os das polícias se verificou que estavam “trabalhados” para menos; ou seja tinham mais registos as policias que o Ministério da Educação.

É caso para questionar o que se pretende com este novo Gabinete?

- Gerir a informação para transmitir uma ideia de paz e amor nas nossas escolas e na sua envolvente? (o meu filho de 11 anos foi esta semana ameaçado com uma faca a menos de 300 mts da escola);

- Dar “tachos” a mais uns quantos militares na reserva? Ou mesmo só aos afilhados?

Nós portugueses preocupados com a Segurança temos de estar atentos a estas manobras cuja intenção parece ser diminuir a insegurança, mas apenas pulverizam a realidade por diversos olhares evitando assim uma observação centralizada que podia tomar as medidas eficazes utilizando a informação e os meios ao seu dispor.

Por este andar teremos a criação de um Gabinete idêntico em todos os Ministérios e daqui a cinco anos centraliza-se tudo e depois descentraliza-se e assim por diante e “brincamos” à segurança com a insegurança das populações.
SadSe calhar vou entrar em contra-opinião, mas que servirá esclarecer o seguinte:
Este tal de Gabinete de Segurança do MEducação, já existe há "sèculos".
Aqui há uns anos era cooredenado por um tal de Major Parracho e era maioritariamente constituido por ex-agentes da PSP; GNR,etc...os quais tinham preferência,por motivos óbvios. De fatinho e gravata lá andavam em grupos de 2 ou 3, de carrinho, patrulhando as escolas e ali permanecendo algum tempo, preferencialmente durante a noite. Dispunham de cartão de livre trânsito do ME e tinham alguma força.

Actualmente existe um Gabinete de Segurança que é coordenado por um (a) Official da PSP, adjuntada por um Oficial da GNR e mais 1 ou 2 elementos civis mas com "canudo" na àrea da Segurança.

Creio que aceitam candidaturas, para quem estiver interessado e tenha alguma experiência na função. Não é portanto um Serviço de Segurança do Estado,tipo secreta,etc... nem tem funções policiais.

Um abraço para ti Jùlio e para os outros companheiros

Manuel neves[/b]
Para que não restem dúvidas e não sejam efectuadas comparações com situações já existentes, deixamos aqui o texto, na integra, do Portal do Cidadão.
Como pode ser verificado esta nova Coordenação de Segurança nada tem a ver com anteriores.

Texto do Portal do Cidadão:
Segundo o Decreto-Lei n.º 117/2009, de 18 de Maio, terminado o mandato da Equipa de Missão para a Segurança Escolar, com a duração de três anos, tornou-se necessário criar uma nova estrutura, bem como proceder à regularização da situação dos prestadores do serviço de vigilância nas escolas.

Neste âmbito, cabe ao GCSE “elaborar um plano de actividades anual e efectuar as medidas necessárias para combater situações de insegurança e violência escolar”, proceder à monitorização dos sistemas de vigilância nas escolas e promover programas na área da segurança.

Este órgão é ainda responsável pela organização de acções de formação específicas sobre segurança escolar, destinadas ao pessoal docente e não docente, e pela realização periódica de exercícios e de simulacros, com o intuito de familiarizar a comunidade educativa com os planos de segurança.

Segundo o diploma, o membro do Governo responsável pela área da Educação pode constituir equipas de zona de vigilância às escolas, compostas por vigilantes recrutados e contratados.
Este Gabinete Coordenador da Segurança de Escolas, é um mau exemplo em como o Governo gasta mal os erários dos portugueses.

Para quem não sabe os elementos de vigilância e não de segurança, são feitos por elementos da GNR, PSP e Marinha muitos dos quais nenhuma formação têm para exercer tal função, principalmente os de Marinha.

Além disso todos eles são aposentados e auferem reformas acima dos 1500 euros, em quantidade, ronda os 700 homens, quero dizer com isto, que é um serviço dado a boys e estão a tirar o emprego a 700 portugueses que tanto necessitam.

Não esquecer que para além da reforma que já auferem o ME lhes paga 700 euros+sub.Alimentação+sub.férias e Natal.

Quero mais acrescentar que as Escolas com estes vigilantes, é como não tenham nenhuma vigilância, pois estes artistas passam o tempo fugindo do perigo, deixando os alunos fazerem o que querem, claro isto com a conivência dos Conselhos Directivos.

Eu sei do que falo, pois também por lá passei, reparando que estava a roubar o emprego a quem precisava e vendo o que se passava a nível dos CD, resolvi sair.

Para quem não sabe, esta é a situação do GCSE ou seja, mais um tacho.