Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
O INEM de novo
#1
Chegam agora as notícias de que existem salários “milionários” no INEM. Aparecem as queixas de duplo emprego dos Enfermeiros que depois de um determinado número de horas nos centros de saúde e hospitais, vão fazer um turno ao INEM. É possível! E quantos enfermeiros fazem dois turnos num só hospital e depois ainda vão “dar uma mãozinha” numa qualquer clínica? Quem se preocupa com isso?

Sejamos francos e honestos.
Esta “guerra” contra os Enfermeiros do INEM só aparece agora porque está prestes a criar-se a carreira de Paramédico (que há muito devia de existir).

Caso contrário, ninguém se preocupava. Quantos TAE fazem dois turnos no INEM? Quantos Operadores da Central do INEM têm outro emprego? Quantas horas de trabalho já feito têm os Médicos que estão de serviço ao INEM?

A segurança dos cidadãos, nesta matéria cada vez interessa menos, seja de quem for a responsabilidade.

Começando nos Tripulantes de Ambulância passando pelos Enfermeiros, Médicos, Directores do Instituto, Directores Gerais, Secretários de Estado, Ministra e Primeiro-Ministro. Ninguém está preocupado com o cidadão e as suas necessidades de socorro, estão, na maioria dos casos, preocupados com os seus interesses particulares.

Se têm dúvidas, analisem:
1. O Governo coloca-nos a todos, para além dos normais impostos, a sustentar o INEM, através dos prémios dos seguros . Que depois vai servir para suprir as faltas do SNS, substituindo Centros de Saúde e Atendimentos Permanentes entretanto encerrados;
2. Os Médicos, Enfermeiros, Operadores e Tripulantes são contratados, mas ninguém fiscaliza se têm um ou mais empregos e o número de horas trabalhadas que trazem quando pegam ao serviço do INEM;
3. O cidadão Nacional habituou-se, de há muito, a aceitar como dado adquirido que as coisas são assim. “Coitados, ganham pouco só num emprego”. Então e as vidas que se perdem? E os que ficam deficientes por imperfeitos tratamentos e cuidados de emergência médica? E os que nem sequer entram numa ambulância, porque devido ao cansaço e excesso de horas trabalhadas o Operador se enganou, o condutor não conhece e atrapalha-se na região, o Médico ou Enfermeiro não efectuam uma correcta triagem?
4. Porque não se gasta dinheiro em campanhas a explicar aos Cidadãos o que devem dizer ao INEM quando ligam o 112?
5. Porque é que as Ambulâncias não estão equipadas com GPS?
6. Porque existem tantos elementos formados (com o curso TAE) e as Ambulâncias do INEM colocadas nas Cooperações de Bombeiros saem com elementos não qualificados?

Acho que antes de começarem a discutir se os Enfermeiros ganham muito dinheiro com o INEM, deveriam começar por repensar o formato de funcionamento do INEM. Para que serve? Como serve? Quem serve?

Não basta virem com aquele discurso: então e as vidas que o INEM salva!?...É para isso que existe e salvava muito mais se funcionasse sem compadrios, corporativismos e interesses políticos.

É uma opinião
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Mensagem neste Tópico
O INEM de novo - por Júlio Santos - 30-12-2008, 04:18 PM

Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)