Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Voluntariado versus Profissionalismo
#1
Eu sei eu sei. É um tema batido. Será. Cada vez mais é uma questão premente. O que o António Perna refere na mensagem de ontem é cada vez mais um tema recorrente nas conversas dos Bombeiros. Ser voluntário, ser profissional? Querem acabar com o voluntariado. Não recebemos pelo nosso trabalho o que deviamos. A questão é a meu ver a seguinte eu posso ser voluntário e receber formação adequada para o que faço, mas não devo ver o meu voluntariado remunerado, senão passa a ser uma profissão. Eu sou profissional, devo receber um valor justo pelo que faço e devo receber formação adequada para o que faço.
O voluntariado é essencial nos Bombeiros como em muitos sectores da vida portuguesa. Imaginem o que é ter de pagar a todos os bombeiros que actualmente existem em Portugal (e agora não vou deiscutir se são 40.000 ou não). Imaginem salários, descontos, seguros de trabalho, 13º e 14º mês, etc..., o trabalho levado a cabo pelos voluntários é essencial para o País (irei mais tarde abordar o tema da formação). No entanto mesmo os voluntários referem que cada vez mais um corpo misto é o caminho a seguir e não, só para os motoristas, maqueiros, mecânicos e telefonistas\centralistas (gostei dessa), mas mesmo equipas de primeira intervenção, ou equipas de intervenção permanente (nós portugueses gostamos de brincar com as palavras); logo têm de existir verbas para esses pagamentos. Essas verbas origiam de quotas dos associados, verbas das autarquias e demais verbas legalmente estabelecidas através do Orçamento Geral do Estado e dádivas de mecenas. Mas equacionem o que era ter de pagar todo isso dos nossos impostos. O que os voluntários querem é ter condições de fazer o trabalho para que se ofereceram o melhor possível e com segurança, os profissionais querm faer o seu trabalho em segurança e com condições para efectuar o trabalho par ao qual são pagos o melhor possível. Será que hesistem assim tantas diferenças? Tirando algumas rivalidades normais e "bairrismos", acredito que tanto voluntários como profissionais (municipais, sapadores), apenas querem dar o seu melhor.
Responder


Mensagem neste Tópico
Voluntariado versus Profissionalismo - por Raul Marques - 29-03-2008, 12:50 AM

Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)