Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DE TRABALHO PARA A FAMÍLIA… UM ESTUDO EM PROGRESSO
#1
Num apontamento anterior reflectimos um pouco sobre as possíveis consequências que o acidente de trabalho pode ter na família. Entretanto tenho estado a realizar um estudo que aborda esta temática. Realizei 4 entrevistas a 4 casais, nos quais os maridos sofreram um acidente de trabalho. No apontamento de hoje gostaria de partilhar convosco a experiência de dois destes casais.

CASAL X
Este casal está casado há 27 anos, tem dois filhos (18 e 27 anos). O sinistrado tem 49 anos e é motorista (era motorista de pesados e devido ao acidente actualmente é motorista de ligeiros), a esposa tem 44 anos e é doméstica.

Algumas informações sobre o acidente…
- Acidente: Queda de 5/6 metros de altura
- Consequências físicas: Traumatismo craniano, surdez do ouvido esquerdo, falta de força na mão direita, amnésia temporária, perda de paladar e cheiro, em coma um mês
- Há quanto tempo foi: 24 meses
- Baixa: 300 dias
- % Incapacidade: 37,34

O casal relatou que o acidente teve impacto, quer na mulher, quer nos filhos, em última análise em toda a família:
- Impacto na mulher: “Foi mau … eu não dormia …” (Mulher)
- Impacto nos filhos: “E mesmo o mais velho … perdeu o ano nesse ano … nunca tinha chumbado um ano …“ (Mulher)
- Impacto na família: “Não nos diziam nada … está a fazer exames … está a fazer não sei o quê … e nós ali à espera … e quando o vimos … tinha os olhos inchados … assim todo partido da cintura para cima … todo ligado às máquinas … o braço partido, a perna partida … a cara dele estava toda inchada … os olhos pretos … e o nariz … é horrível …um mês … cada dia a caminharmos para lá …” (Mulher)

O acidente produziu um conjunto de mudanças para esta família e sinistrado:
- Mudanças profissionais: “A minha vida profissional mudou … porque eu não posso fazer aquilo que eu fazia …“ (Marido)
- Mudanças na mobilidade: “…eu fazia tudo e mais alguma coisa … e agora há certas coisas que eu não posso fazer … Mesmo em casa…” (Marido)
- Mudanças financeiras: “…houve um corte muito grande porque eu é que andava por fora … eu tirava o dobro do ordenado …” (Marido)

O acidente está sempre presente…
- “Ainda se está a passar … Ainda não está completamente … há coisas que nunca mais passam … eu lembro-me sempre do acidente porque … sempre que me ponho em pé lembro-me sempre do acidente … eu tenho sempre dores … se for na rua e houver muito barulho fico logo confuso e … mas como só oiço deste ouvido … fico confuso porque não sei de onde vem o barulho e às vezes tenho que estar à procura …” (Marido)

Como factores que ajudaram este casal, realçaram:
- Religião: “A Fé!.. É a Fé … nós todos os domingos íamos à missa …“ (Mulher)
- Filhos: “Eles têm-me dado muito apoio … Foi graças a Deus … que eu tenho dois filhos que são uma dádiva …” (Marido)
- Família: “Tivemo-nos uns aos outros… “ (Mulher)

Apesar de tudo este casal ainda consegue retirar aspectos positivos deste acidente:
- O positivo é estar vivo … estar cá … porque podia não estar cá e assim tou cá e é muito bom … mesmo … as incapacidades que eu tenho é muito bom tar cá … A vida é muito importante … É impressionante … uma pessoa passa por uma coisa destas e fica a dar muito mais valor à vida …” (Marido)

CASAL Y
Este casal está casado há 34 anos, tem um filho com 33 anos. O sinistrado tem 59 anos e era montador electromecânico, estando actualmente reformado em sequência do acidente, a esposa tem 59 anos e é escriturária.

Algumas informações sobre o acidente…
- Acidente: Electrocussão num quadro eléctrico
- Consequências físicas: Queimaduras de 2.ºgrau no tronco, mãos e braços, articulações afectadas
- Há quanto tempo foi: 30 meses
- Baixa: 730 dias
- % Incapacidade: 44,9

O acidente tem impacto, quer na mulher, quer nos filhos:
- Impacto na mulher: “Porque eu ia todos os dias assim «ah, como é que ele está?» - porque eu praticamente não comia. A minha roupa… caia-me, toda a agente, olhe era horrível. A única coisa que eu comia de manhã era uma peça de fruta porque só de pensar como é que ele estava só me dava vómitos. E não conseguia. Era uma situação tão grave que eu só vomitava...” (Mulher)
Impacto no filho: “… teve ali muito tempo até que visse o pai…” (Mulher)

O acidente produziu um conjunto de mudanças para o casal e para o sinistrado:
- Dificuldade em dormir: “… tenho problemas a dormir…” (Marido)
- Mudanças profissionais: “…houve mudanças… por exemplo, para mim, houve muitas. O meu dia-a-dia passou a ser diferente…se eu tivesse continuado a trabalhar, se isto não tivesse afectado…Eu iria fazer o mesmo que estava a fazer…Agora, a minha vida alterou. O meu dia-a-dia é completamente diferente…” (Marido)
- Irritabilidade: “O meu marido tem dias que está muito bem, mas tem dias que está muito irritado…” (Mulher)
- Intimidade: “… na vida particular, continuo a dormir sozinho, o que alterou um pouco …” (Marido)
- Cuidados: “…foi complicado. Porque houve uma altura em que eu tinha que lhe dar de comer. Cortar os alimentos…” (Mulher)

Como factores que ajudaram este casal, realçaram:
- Optimismo: “…o que tem contribuído é o facto de eu ser muito optimista e ver sempre o lado positivo das coisas…” (Marido)
- Religião: “… eu tenho muito fé. Ia à igreja…” (Mulher)
- Apoio do filho: “… está muito pegado a nós …” (Marido)

Apesar de tudo este casal ainda consegue retirar aspectos positivos deste acidente:
- “… agora estamos mais juntos, mais unidos do que estávamos antes. Porque antes havia o trabalho e tudo quase que não havia tempo para nada…“ (Marido)

Com este trabalho procurei destapar um pouco uma dimensão que tem vindo a ser esquecida…o acidente não termina com a alta… permanece nas vidas dos seus sinistrados e dos seus familiares.

Sónia Gonçalves
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)