Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
FIRE 5 - Força de Intervenção Rápida a 5
#1
Sobre a vertente de protecção civil, e contribuindo com alguma informação sobre esta área para o teu forum, informo que vai realizar-se em 28 e 29 de Janeiro uma reunião do FIRE 5 (Força de Intervenção Rápida a 5) preparatória do exercício PROCIV V a realizar em Portugal, em principio em Maio. O FIRE 5 é uma força de resposta rápida, no âmbito da protecção civil, sob a égide da União Europeia, composta por elementos designados de 5 países, a saber: Portugal, Espanha, França, Itália e Grécia.

A actualmente designada FIRE 5 teve a sua origem em 2006 e começou por envolver apenas quatro países (Espanha, França e Itália e Portugal), um pouco devido aos problemas com incêndios florestais que todos partilhavam. Nessa fase, a sua designação ainda era FIRE 4 e tinha como objectivo avançar para uma força de intervenção, mais operacional, tendo sido formalmente anunciada aos restantes países da União Europeia, na reunião de Directores-Gerais de Protecção Civil da EU, em Maio de 2006. Em 2007, depois dos incêndios florestais que assolaram a Grécia, aquele país decidiu também juntar-se formalmente à FIRE 4, adesão esta que foi formalizada no passado mês de Fevereiro de 2008, em Roma, passando esta iniciativa a designar-se FIRE 5.

Foram acordados uma série de pressupostos para o funcionamento desta nova “força”, dos quais se destacam: Cooperação reforçada na área da protecção civil entre os países colaboradores do FIRE 5; Activação de recursos nacionais segundo as regras utilizadas pelo MIC; Possibilidade de activação independente mesmo quando não fosse o MIC a realizá-lo; Rotatividade semestral na presidência da FIRE 5;
José Bragança
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)