Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Segurança para Todos
#1
Neste Fórum é a primeira vez que faço uma referência evidente à Instituição onde trabalho. Para que não subsistam dúvidas, repito os princípios que o norteiam para que não fiquem dúvidas:

“Esta página foi pensada e executada com o objectivo exclusivo de partilhar, com outros profissionais do sector e público em geral, informação sobre a temática da Segurança.”

A maioria dessa informação é resultado da experiência de cerca de 20 anos de actividade profissional do Autor na área da Segurança e da partilha de conhecimentos e experiências com outros profissionais do sector. “


Esclarecido este ponto que considero importante, gostaria de partilhar convosco o seguinte:

A legislação em vigor obriga as grandes empresas a disporem de meios de segurança devidamente organizados, algumas exclusivamente na vertente safety, outras, como é o caso do sector bancário, também na vertente security.

Todavia, já está assumido pelos Gestores da Segurança (independentemente da denominação que lhes é atribuída: Directores, Responsáveis, etc.) que a segurança só é eficaz quando observada sobre uma óptica INTEGRAL, ou seja; só se obtém segurança quando se tem uma visão integrada das vertentes safety e security.

No entanto, a segurança é feita pelas pessoas e para as pessoas. Se não conseguirmos formar e sensibilizar todos e com isso constituir o triângulo “safety, security, formação/informação” – quaisquer objectivos de um ambiente seguro caem por terra.

Não se consegue construir um ambiente seguro se não sensibilizarmos as pessoas para a problemática e simultaneamente as envolvermos nos objectivos a atingir. Para tal importa: Formar e Informar.

A formação pode visar os comportamentos mais simples: como proceder a uma evacuação ordenada (obrigatório por lei em determinadas condições) ou quais os procedimentos de apoio aos agentes da segurança, mas também pode ir mais além.

É neste contexto que considero muito válido e bastante louvável aquilo que a Instituição bancária onde trabalho está a efectuar neste momento. Para além da formação imposta por lei aos elementos das “Equipas de Primeira Intervenção”, estão a decorrer acções continuadas de sensibilização/reciclagem.

O Porquê da importância? – Porque neste caso, a segurança é abordada de um modo diferente. Não se faz porque é obrigatório ou necessário. Faz-se porque se entende o quanto esta é uma necessidade das pessoas.

Ou seja, não se reage; age-se!

As descritas acções que visam a sensibilização na área do socorro imediato, estão a ser levadas a cabo por Agentes de Segurança Privada especializados e devidamente habilitados para tal. A inclusão de pessoas com estas habilitações no Modelo de Segurança da Instituição não é um conceito novo, foi criado há uns anos, mas agora é também aproveitado na vertente da sensibilização da segurança, num contexto de “Empresa Segura”.

Esses Agentes, nas acções que agora decorrem, dão a conhecer e partilham os seus saberes com os Trabalhadores da Instituição, tornando assim, sem margem para dúvidas, o ambiente mais seguro.

A sensibilização que é feita para a problemática da segurança vai para além da imposição legal e mais ao encontro das necessidades da sociedade, pois os temas abordados são comuns às potenciais necessidades de qualquer pessoa em qualquer espaço. Foi tão-somente a constatação dessa importância que motivou a elaboração deste texto.

O nosso entendimento é que este conceito poderia – senão, deveria - ser adoptado por empresas de grandes dimensões que têm, para além da responsabilidade do cumprimento da legislação, também uma obrigação social.

A Segurança é uma necessidade de todos e não só de alguns.
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)