Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A Segurança nos Táxis
#1
O Táxi, como qualquer outro transporte público, tem associado um conjunto de factores de insegurança. Os actos de insegurança, habitualmente públicos, são referentes a ataques aos motoristas, raras são as situações de ataques a clientes.
Porém, quem necessitar de um táxi em Lisboa poderá ser confrontado com um motorista muito pouco amistoso ou até, numa primeira análise, que não inspire qualquer confiança.
Esta sempre foi uma indústria com características muito especiais. Na maior parte dos casos a rentabilidade das viaturas (circular durante mais tempo) era garantida em regime de part-time por profissionais de outras áreas e/ou até por aposentados, na generalidade ex-funcionários públicos (reformavam-se mais cedo) e em particular elementos ligados às forças policiais. Esta característica transmitia aos utentes uma certa segurança.
Hoje, se visitar-mos as praças de táxis e/ou mandar-mos parar um carro em qualquer artéria da Cidade de Lisboa podemos ser confrontados com elementos com muito mau aspecto que em qualquer outra condição nos afastaríamos. Não se trata apenas do aspecto, se não quisermos ser preconceituosos, podemos sempre visitar os habituais locais de venda de droga em Lisboa ou até os locais de distribuição de metadona, veremos sempre por perto um táxi e nem sempre sem cliente lá dentro, na maioria dos casos…sem o condutor.
Acredito que as reformas da função pública (mais consistentes) associado ao conjunto de factores de insegurança a que estão sujeitos os motoristas de táxi, afastem o tipo de condutor a que estávamos habituados; agora daí aos Patrões contratarem qualquer um para conduzir o seu carro apenas numa lógica de rentabilidade, colocando em risco quem se serve deste tipo de transporte, não me parece correcto.
A tudo isto, podemos somar os carros que garantidamente não passavam numa inspecção de acordo com a Lei, os motoristas que insistem em fumar dentro dos carros (mesmo com o braço de fora) e a falta de higiene do carro e condutor. Meus caros, a grande maioria dos táxis em Lisboa estão uma verdadeira desgraça no âmbito do bem-estar e segurança para o utente.
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)