Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 1 voto(s) - 4 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Bombeiros vs INEM II
#1
Nem sempre quando nos dão razão, nós gostamos e, neste caso em concreto, não gostei. Não gostei porque o que está em causa são as pessoas e o socorro que lhes é devido.
Aqui atrasado, na nossa página publicámos um texto (com o mesmo titulo) no qual comentávamos o diferendo então existente e que, pelo que nos é dado a ver, ainda persiste, entre duas das Entidades responsáveis pela prestação de socorro de Saúde em Portugal: Bombeiros e INEM.
Congratulo-me com o facto da nossa preocupação ser coincidente com a do Ministro da Saúde (que tutela o INEM). Registamos com bastante agrado o apelo à calma que efectuou ontem, na inauguração da central do INEM em Coimbra. Trata-se de uma postura sempre louvável, quando estamos perante um conflito. Porém, este pedido de apaziguamento conduz-nos a uma série de questões:
- Para existir um conflito são necessárias, no mínimo, duas partes. O Sr. Ministro reconhece que existe um litígio ao solicitar aos Bombeiros para repensarem a sua posição. Porém, não fez referência ao outro beligerante: o INEM, porquê? Essa Entidade é imaculada neste processo?
- Se reconhecem a existência do conflito, porquê só agora uma tomada de posição pública quando a disputa por protagonismo se arrasta há tanto tempo?
- Se são duas as Entidades intervenientes, porque não são os dois Ministros: Saúde e Administração Interna a vir a público solicitar contenção a ambas as partes?
Quem ouvir ou ler as declarações do Sr. Ministro da Saúde, sobre este tema e não estiver bem informado, fica com a impressão de que os Bombeiros são os únicos “maus da fita”. Não é verdade! Como a seu tempo comentámos, no nosso entender, ambas as Instituições possuem “culpas no cartório”.
Embora não concordemos com a forma, consideramos importante o objectivo do Ministro. Contudo, conhecendo as Entidades em questão, não creio que os Bombeiros, e com alguma legitimidade, não venham a terreiro perguntar: - Nós!? Então cadê os outros? São uns “santinhos”?
É minha convicção é que voltaremos a este tema.
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder
#2
Tal como calculava, cá estou de novo com este assunto. Ontem tive acesso a uma noticia de que a Associação de Bombeiros de Coimbra (ABC) se indignou, e muito bem – digo eu - com as declarações do Sr. Ministro da Saúde.
Só não gostei de uma coisa: a forma utilizada. Pediram ao Ministro para ter contenção nas acusações aos Bombeiros, senão eles (ABC) divulgavam uma serie de estórias que sabiam sobre o IMEM. Fazendo fé no jornal DN, (creio ser sério), a serem verdade, estas declarações são, no mínimo polémicas. Se os Senhores da ABC sabem de alguma coisa grave, porque não divulgam já em vez de servirem dessa informação para "chantagear" o Ministro?... – "ou te calas...ou nós contamos!"… mas contamos o quê?
Eu enquanto cidadão quero saber o que é, e já! Será que se precisar do INEM estou em perigo? Será que algo de grave ao nível da gestão se passa no INEM? Vamos Senhores responsáveis pela ABC contem lá, quando se tem responsabilidades sociais tem de ser SEMPRE RESPONSÁVEL senão, ficam ao nível de quem vos acusou infundadamente.
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder
#3
Permitam que comece este comentário com um caso pessoal que apresento de seguida:

INEM
Sem comentários --- "no comments"
Esta foi a expressão que me veio à cabeça para o título deste desabafo.
Talvez porque estou a escrever este comentário pouco tempo depois de ter necessitado do apoio do INEM em Lamego.
Foi durante o dia 22AGO08 (cerca das 0900), telefonei porque me pareceu ser mais seguro transportar o meu pai para o hospital de ambulância, já que, estava a ter dificuldades em respirar e com dificuldade de locomoção.
O meu telefonema para o INEM: Comecei por dizer onde estava, o que precisava (uma ambulância), foi passada a chamada para um médico. Disse o que estava a acontecer - O meu pai foi operado na segunda-feira à vesícula (esta chamada foi feita hoje sexta-feira 22AGO), disse ao médico o que o meu pai estava a sentir (falta de ar, barriga inchada, muito pálido, etc). Pergunta seguinte do médico o seu pai sofre de alguma coisa. A minha resposta foi: foi operado na segunda-feira (para bom entendedor, período pós operatório). O médico ia começar com mais perguntas, pelo que disse muito obrigado levo o meu pai no meu carro. Cerca de meia hora depois estava a entrar no bloco operatório outra vez.

Obrigado INEM as vossas perguntas podem fazer todo o sentido, mas para quem esta mal, ou muitas vezes muito mal, o que se pretende é uma resposta rápida. Como vocês bem sabem um minuto pode salvar uma vida.
Já sei, vão dizer que: muitas chamadas não justificam o deslocamento, têm que efectuar a triagem, etc.
Então amigos (INEM), uma opinião de um leigo mas interessado, sejam mais profissionais (nem todos claro, as generalizações são sempre más). Este último comentário é naturalmente para os dirigentes, que tendo capacidade para implementar bons métodos, aperfeiçoamento, profissionalismo, etc. Se refugiam na sua qualidade de chefes para mandar mas não para melhorar.
Esta não é a qualidade dos Portugueses em geral e ainda bem.
A emergência médica em Portugal existe?
(Na minha opinião existe mas está doente)
O meu pai, apenas porque eu tenho posses foi por mim transportado para o hospital, mas muitos milhões de Portugueses não têm esta capacidade (que fazem?).

Quantos morrem pela incompetência dos DIRIGENTES/CHEFES do INEM?
(As estatisticas, segundo esses mesmos dirigentes, talvez não sejam significativas. Como se uma morte não tivesse significado)

Muito obrigado por lerem este desabafo de alguém que teve que transportar um doente para o hospital porque o INEM demorava bem mais tempo, quem sabe quanto, possivelmente ainda não estaria a escrever este comentário são 12:58.
Mostrem a vossa indignação que, quem sabe, este escândalo que é o nosso (Português) INEM, leve a reestruturação que merece e os funcionários dedicados merecem.
Este comentário ao INEM foi feito no próprio dia, pelo que, o estou a publicar na Íntegra como o escrevi ainda a quente, mas continuo a ter a opinião expressa nesse dia.

Se nos for ainda permitido que o comentário já vai longo, traria-mos a missão do INEM para verificar o que está mal.

Missão do INEM
Esta é a missão transcrita do site do INEM:

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) é o organismo do Ministério da Saúde responsável por coordenar o funcionamento, no território de Portugal Continental, de um Sistema Integrado de Emergência Médica, de forma a garantir aos sinistrados ou vítimas de doença súbita a pronta e correcta prestação de cuidados de saúde.

Permitam-me que realce alguns pontos dessa missão para reflexão que podereis comentar, já que, em nossa opinião estes pontos (negrito) não estão de longe a ser uma realidade.

Para terminar apresenta-mos outro caso que nos pareceu no minimo curioso e quem sabe mais um para ser verificado pelos serviços do INEM, isto claro se considerarem que a culpa não é dos Bombeiros.
Mais uma do INEM


O caso que transcrevo, é um comentário a um dos nossos BLOG sobre o INEM. http://inemmuitomau.blogs.sapo.pt/

Temos falado muito dos dirigentes e chefes do INEM, mas talvez com o relato que apresentamos a seguir se possa ver que também alguns dos seus elementos não são o que se espera para quem trabalha com doentes.

[/u]Comentário feito - quinta-feira, 28 de Agosto de 2008, 22:29:29 | de_olho_em_ti:

Estas coisas com o INEM andam mesmo más, mas em geral. Recentemente uma amiga minha, quem acompanhava, caíu no das escadas do metro no Porto e não se conseguia levantar, como é normal num procedimento deste nunca se pode tocar na pessoa sem saber o que se faz, então ligamos para o INEM para chamar a ambulância, fui 'bombardeada' com questões, algumas que podiam ser evitadas e demorou mais de dez minutos. Ao ouvir os gemidos de dor dessa amiga minha aproximei o telemóvel dela e fiz-los perceber que era urgênte. Lá vieram passado 20minutos, não me deixaram acompanhá-la, o que entendi mas o mais ridiculo é que eu de autocarro para ir ter com ela ao hospital Santa Maria cheguei mais rápido do que ela! Quando lá cheguei disseram-me que a ambulância ainda não tinha chegado, mais tarde vim a saber que eles tinham parado cerca de 10minutos a conversar com outra ambulância. É terrivel para quem está com as dores...

Obrigado pelo vosso tempo
Jorge
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)