Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A Guerra INEM/Bombeiros continua
#10
Meu caro amigo, todos os locais são bons para os teus sempre acutilantes comentários.

Deixa-me discordar desta tua visão. Em primeiro lugar porque algo estava mal, senão vejamos o que aconteceu pós-Ministro Correia de Campos na área da emergência médica:
- 300 Ambulâncias do INEM vão receber GPS;
- Vai ser criado, na zona do Alto Minho, um centro de atendimento de emergência (não entendi bem de que tipo) que vai garantir uma melhoria da triagem e accionamento de meios nesta zona do País;
- Vão ser colocadas no Concelho de Alijó Ambulâncias do INEM com tripulação 24h por dia;
- Estão a ser preparados meios humanos (Médicos, Enfermeiros e Tripulantes) para aumentar o número de equipas do INEM.
Ora bem, se tudo isto está a ser feito é porque faltava fazer! Certo? Faltava este tipo de suporte nos locais onde fecharam urgências hospitalares e Maternidades.

Dizem os técnicos (que podem pagar a saúde deles e familiares nas melhores clínicas com o dinheiro que ganham a fazer continuados estudos para o Estado sempre sobre a mesma matéria) que era preciso reorganizar a prestação de cuidados médicos em Portugal.

Pessoalmente concordo com o princípio, mas não com a forma. Em vez de fechar Hospitais, Urgências e Maternidades por não terem condições, deviam era criar e melhorar as condições. É a minha opinião! Admito que muito discutível, mas como para mim a vida humana não tem preço, esta é a minha opinião.

Num País dito democrático, a Saúde, a par da Justiça, tem de ser um bem de primeiríssima necessidade.

No meu modesto entendimento, o Governo não tinha o direito de efectuar uma remodelação, na área da saúde, com a abrangência que esta teve, sem primeiro ter garantido, no mínimo, um serviço de excelência em emergência e pré-hospitalar a essas populações.

É claro que resultou mal!? A culpa foi do Ministro que se viu forçado a demitir, mas se tivesse resultado bem ou quando as coisas tiverem mais “compostas” os louros serão do Sr. Primeiro-Ministro.

Para terminar este intervenção, importa referir que em matéria de prestação de socorro, Portugal está mal há muitos anos. A actual reforma na saúde só tornou visível um conjunto de deficiências que ninguém quer assumir. Todos os agentes e intervenientes (utentes incluídos, por não reclamarem quando devem) são culpados.

Resumindo, cada pessoa que morre ou fica inválida por falta de socorro adequado em tempo e meios, existe uma quota parte de responsabilidade de todos nós.
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Mensagem neste Tópico
A Guerra INEM/Bombeiros continua - por Júlio Santos - 25-01-2008, 04:35 PM
RE: A Guerra INEM/Bombeiros continua - por Soeiro - 27-01-2008, 11:02 PM
RE: A Guerra INEM/Bombeiros continua - por Soeiro - 04-02-2008, 05:48 PM
RE: A Guerra INEM/Bombeiros continua - por zé paiva - 07-02-2008, 12:38 AM
RE: A Guerra INEM/Bombeiros continua - por Júlio Santos - 07-02-2008, 10:38 AM

Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)