Este fórum usa cookies
Este fórum utiliza cookies para armazenar as suas informações de login se estiver registado, e a sua última visita ou não. Os Cookies são pequenos documentos de texto armazenados no seu computador. Os cookies criados por este fórum só podem ser usados neste site e não representam nenhum risco de segurança. Os cookies deste fórum também acompanham os tópicos que você leu, e a última vez que os leu. Por favor confirme se quer aceitar ou rejeitar estes cookies por definição.

Um cookie será armazenado no seu navegador, independentemente da sua escolha, para prevenir que esta pergunta apareça novamente. Você será capaz de alterar as suas definições de cookies a qualquer momento usando o link no rodapé.

Avaliação do Tópico:
  • 0 voto(s) - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Segurança na Utilização da Internet
#1
A honroso convite do meu amigo Júlio Santos vou tentar explicar de forma superficial algumas das minhas ideias sobre o tema “Segurança na Informática”.
Porquê de uma forma superficial? Estamos perante uma matéria tão vasta que não poderia ser tratada nesta rubrica senão desta forma, pois como compreenderão temos limitações de espaço. Pode ser que tenhamos oportunidade de voltarmos a falar sobre este tema e analisá-lo nas suas diversas vertentes. Vamos, portanto, neste texto, abordar o tema na perspectiva da segurança na internet.
Atrevo-me a dizer que os factos negativos das sociedades contemporâneas relativamente à apropriação ou destruição dos bens alheios, bem como, das formas insidiosas de manipulação, se reproduzem, tal como uma fotocópia, nos meios informáticos, sendo estes distúrbios particularmente visíveis quando se usa a infra-estrutura da internet. Isto é, o roubo, a pressão desmesurada sobre as pessoas para terem determinados comportamentos, a violação da privacidade, a destruição de bens, etc., são comportamentos instalados na internet.
Bondosamente, ou não, algumas pessoas vão apresentando soluções no sentido de resolver os problemas atrás referidos, nalguns casos apenas se tem em vista a subjugação desta infra-estrutura a particulares interesses deste ou daquele grupo, os outros estão condenados pois esta problemática não se resolve neste contexto particular, sem ser resolvida, se tal for possível, no geral, o comportamento humano. Tal não deve impedir-nos de envidar todos os esforços para nos protegermos, sendo que ao termos esta postura estamos a proteger todo o meio.
Na internet assumem particular interesse, devido ao dano que causam aos utilizadores, as vertentes seguintes:
Roubo ou destruição de informação contida em dispositivos físicos (discos);
Nalguns casos quem efectua intrusões nos computadores não tem particular interesse em obter a informação, mas sim em destruí-la, prejudicando-o e muitas vezes fazendo perder inúmeras horas de trabalho, mesmo quando é possível recuperar esta informação com esforço, o que nem sempre acontece. Nunca se esqueça de efectuar cópias de segurança para outros suportes, por exemplo para um CD ou um disco externo, se possível não guarde o suporte com as cópias de segurança juntamente com os originais. Existem também disponíveis no mercado soluções de cópias de segurança “online”.
Se tem informação confidencial ou de elevado potencial para si ou em referência a terceiros procure uma forma de a codificar, usando um programa de criptografia, aplica-se quer à informação guardada em disco, quer ao envio de correio com informação desta categoria. Evite que qualquer um que consiga entrar no seu computador ou capture o correio que enviou aceda com facilidade à informação, podendo depois usá-la contra si, ou contra terceiros.
Apropriação de informação relativa à nossa identidade;
Em relação a outro tipo de informação, sem confidencialidade, ela é sua e representa muitas vezes o seu perfil como pessoa, podendo indicar os seus gostos, preferências e padrão comportamental, não deixe que seja obtida, divulgada e usada por terceiros, sem seu conhecimento expresso. Deve desabilitar o recebimento de “cookies” pelo seu “browser”, excepto de sítios seguros. Não divulgue dados pessoais (nome, morada, horários, telefones, parentescos, etc.) em sítios públicos, por exemplo programas de troca de mensagens. Instale um programa de “spyware”.
Subtracção de identificação de utilização (login) e de senhas de acesso;
Conforme o leitor quando saí de casa tranca a porta e mesmo quando permanece no seu interior mantém a porta fechada à chave, sendo que casos há em que não se dispensa um bom alarme. Quando viaja deve distribuir os documentos e o dinheiro por diversos lugares da bagagem. Quando se desloca a zonas com bastante afluência de público toma cautelas quanto aos carteiristas. Use um bom antivírus e acima de tudo mantenha-o actualizado, com actualizações automáticas. Não guarde a sua identificação e senhas de acesso, excepto na sua memória pessoal. Construa senhas fáceis de memorizar, mas que contenham letras, números e outros símbolos, podendo introduzir também letras maiúsculas juntamente com minúsculas, conforme os casos não deve usar a mesma senha durante mais de dois a três meses. Exemplo de criação de uma boa senha:
- A frase “ontem fui com a minha filha Luísa ao cinema” pode originar a senha “?OfCmFLC#”;
- A frase “tenho uma cadela chamada Duda, nascida em 2002” pode originar a senha “&TCCdudaN2002&”.
Quando criar, modificar ou introduzir uma senha de acesso não permita que alguém na sua vizinhança tenha oportunidade de a memorizar.
Uso do nossos computadores como ponte para as mais diversas acções ilícitas, escondendo a real identidade do criminoso;
Ao deixar o seu computador desprotegido e ligado à internet está a permitir e a cooperar com todas as actividades ilícitas que usualmente se manifestam neste meio, permitindo que inclusive usem o seu equipamento para efectuar operações escondendo a real identidade do criminoso.
O uso da internet por crianças.
Incentive o uso das novas tecnologias pelas suas crianças, mas não permita que tenham contacto com determinados sítios que pelo seu conteúdo (pornográfico, criminoso, violento, etc.) não são apropriados para a sua saudável formação, configure o seu “browser” e/ou o seu programa de protecção de acessos à internet de forma a não permitir acessos a estes sítios.
Vigie os contactos das suas crianças através de correio, salas de chat, programas de troca de mensagens, etc., de forma a conhecer quem não deve contactar com os seus filhos. Em caso de descobrir algum contacto não desejável comunique directamente com o indivíduo, proibindo-o de tornar a efectuar mais contactos, e em casos mais graves comunique às autoridades.
Acompanhe os mais novos quando efectuam compras pela internet ou respondem a questionários, só você estará habilitado a separa o trigo do joio, não permitindo que gente sem escrúpulos abuse também desta forma das nossas crianças.
Informe-se, mantenha-se actualizado e atento, passe o seu conhecimento aos seus filhos, subscreva sítios que lhe possam fornecer informações sobre todas estas problemáticas.
José Janeiro
Sou, com cordiais cumprimentos
Júlio Santos
Responder


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)